sexta-feira, setembro 12, 2014

Aflição!

Aflita! Assim era a vida dele. 
Foi juntando todas as inquietações, raivas, desavenças. Vivia para se resguardar e não incomodar aos outros. 
E assim seguia a vida... Em plena superfície nenhum mínimo abalo. Já no interior, borbulhavam emoções e fluxos de vontades não atingidas, meias verdades. Sentia como se apertassem seu peito e faltava-lhe ar ao entrar em desacordo com alguém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário