sexta-feira, setembro 12, 2014

No Reino Encantado de Epigres

Era uma vez numa terra encantada, onde 2 príncipes disputavam o Reino Encantado de Epigres. 
Com muitas moedas de ouro conseguiam contratar muitos corneteiros e os mais impressionantes sofistas do Reino.
Com a proximidade da escolha do parlamento, os candidatos a rei digladiavam-se em público feito animais. Nenhum deles, então, começou a apresentar mais projetos e começaram a se xingar de todos os nomes mais feios possíveis: Cara de Fuinha, Bobão, Fí duma Serpente, Fí da Peste, Fí do Canso Mariano... 
E assim segue a disputa pelo Reino Encantado, enquanto um diz que o outro fará ruína a Epigres a população segue sem entender essa disputa. 
Passa um pequeno camponês desatento e pergunta: 
- Painho e a gente como é que fica? 
- Não sei meu filho, o que estão menos ligando é pra gente... 

Mas há alternativa ! 
Não existem só 2 candidatos ao Reino de Epigres! 

Aflição!

Aflita! Assim era a vida dele. 
Foi juntando todas as inquietações, raivas, desavenças. Vivia para se resguardar e não incomodar aos outros. 
E assim seguia a vida... Em plena superfície nenhum mínimo abalo. Já no interior, borbulhavam emoções e fluxos de vontades não atingidas, meias verdades. Sentia como se apertassem seu peito e faltava-lhe ar ao entrar em desacordo com alguém.

Morena

Morena 

Companheira, meu amor, grande amiga. O que mais posso falar?

Quando eu te conheci mil coisas eu senti. 
Frio, calor, subindo pela espinha. Ao longo desses maravilhosos momentos, aprendi muito contigo...
Minha morena, morena minha.
Pele de pêssego, olhar singelo e encantador, muita paciente com esse seu namorado embroado, que não sabe viver, se não, ao seu lado!